Dossiê 6: Jairo Ferreira no país da invenção





Jairo Ferreira Pinto (São Paulo SP 1945) é jornalista, cinepoeta, crítico, cineasta, ator, cineclubista, performer e escritor. Foi coordenador do Cine Clube Dom Vital, de 1964 a 1966. Foi crítico de cinema do jornal da colônia japonesa São Paulo Shimbum, entre 1966-72, acompanhando boa parte do movimento do Cinema Marginal; crítico da Folha de S.Paulo, 1976-80, e do Estado de São Paulo, 1988-90, além de colaborar com revistas como Filme Cultura e Artes, e de editar a revista Metacinema. É autor do texto Cinema: música da luz, que integra o livro O cinema segundo a crítica paulista, organizado por Heitor Capuzzo, e do livro Cinema de invenção, no qual discute a obra de vários cineastas brasileiros considerados experimentais, como Glauber Rocha, Carlos Reichenbach, Walter Hugo Khoury, Julio Bressane.
Na produção cinematográfica, é assistente de direção em O quarto, de Rubem Biáfora, e em Orgia ou o homem que deu cria, de João Silvério Trevisan. É co-roteirista de O pornográfo, longa em 35 mm de João Callegaro e direção de fotografia do cineasta da boca Osvaldo de Oliveira; de Corrida em busca do amor, longa em 35 mm de Carlos Reichenbach; de Sonhos da Vida e de Sangue Corsário, curtas-metragens 35 mm de Carlos Reichenbach. Ganha o Prêmio Governador do Estado pelo roteiro do filme O Pornógrafo. Faz também vários filmes em super-8, como O Vampiro da Cinemateca, e um filme em 35 mm, o Guru e os Guris, de 1975. Em 1997, o Museu da Imagem e Som de São Paulo faz uma retrospectiva da sua obra cinematográfica. É colunista da revista eletrônica Contracampo.
Nos anos 80, fez um roteiro para o curta Convenção de Itu do diretor Osvaldo de Oliveira.


No livro Jairo Ferreira - Críticas de Invenção: Os Anos do São Paulo Shimbun, organizado por Alessandro Gamo, é um livro com Críticas importantes deste gênio e figura ímpar da crônica do cinema brasileiro, o relator maior de um movimento único, o chamado Udigrudi. Por isso, arme-se de bom humor, porque o trabalho de Jairo se resume bem no nome de uma outra obra sua O cinema de Invenção.


Filmes:

1973 - O guru e os guris - curta em 35 mm
1975 - Ecos Caóticos
1975 - O ataque das araras - curta em 8 mm
1975/1977 - O Vampiro da Cinemateca - longa em 8 mm
1977 - Antes que eu me esqueça - curta em 8 mm
1978 - Horror Palace Hotel - curta em 8 mm
1978 - Nem Verdade nem Mentira - curta em 35 mm
1979 - O M da Minha Mão - curta em 35 mm
1978/1980 - O insigne ficante - longa em 8 mm
1993 - Metamorfose Ambulante ou As aventuras de Raul Seixas na Cidade de Thoth - curta em vídeo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista Exclusiva: LUIZ ROSEMBERG FILHO O Pensador do Cinema Brasileiro.

Entrevista Exclusiva com José Sette o poético amor pela sétima-arte