Postagens

Mostrando postagens de Julho 25, 2010

Dossiê 15: Wallace Berman um visionário artista Beat Generation

Imagem
photo by Jean Bartlett





Wallace Berman nasceu em Staten Island, Nova York e se mudou com sua família para Los Angeles, Califórnia em 1930. Ele foi expulso da escola para o jogo, e envolveu-se no mundo do jazz. Matriculou-se em Jepson e freqüentou a Escola de Arte e Chouinard, mas não há estudos completos. Em vez de procurar uma arte formal "carreira", ele trabalhou em uma fábrica de acabamento de móveis antigos. Este trabalho lhe deu a oportunidade de salvar rejeitar materiais e sucatas que ele usou para fazer esculturas. Ele começou uma publicação chamada arte postal Semina O formato foi um texto impresso em tipografia um conjunto de papéis coloridos, fotos, e essencialmente material encontrado. Contribuintes incluídos John Altoon, Antonin Artaud, Charles Brittin, Charles Bukowski, William S. Burroughs, Jean Cocteau, Allen Ginsberg, Marion Grogan, Walter Hopps, Larry Jordan, Philip Lamantia, Michael McClure, David Meltzer, Stuart Perkoff e John Weiners. Wallace Berman (1926-1…

Entrevista Exclusiva com José Sette o poético amor pela sétima-arte

Imagem
No Cinema Poético das antenas experimentais de invenção

Uma nova geração de cineastas pouco conhecem os trabalhos, de um dos mais importantes cineastas dos anos 70, Jose Sette, que recentemente consegui telecinar a única cópia de 35mm do meu primeiro filme BANDALHEIRA INFERNAL.Este maravilhoso longa metragem experimental e marginal filmado em 1975, e uma metáfora sobre o conflito ideológico e político do país. No Festival de cinema Mostra Livre deste ano fez uma belissíma homenagem a este mestre. Na entrevista exclusiva, José Sette explica sua vivencia com o cinema e fala do seu mais novo longa metragem AMAXON.

- Como surgiu o gosto pelo cinema José Sette: Meu pai, um médico nascido no interior de Minas Gerais, tinha três paixões em sua vida: Mulheres; Fotografia; Política. Sua mãe, minha avó, gostava de música e poesia.Até os meus 10 anos (1958) eu já tinha descoberto o meu amor pela sétima-arte. Meu pai possuia um projetor 16mm e tínhamos sessão de cinema em casa. Depois morava eu em…

5 edição Colagens do cineasta Luiz Rosemberg Filho

Imagem